quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Barraqueiros "Borderlinezados"



Geralmente, essas pessoas não são tão interessantes e necessitam de algo para chamar atenção, apenas não atentam que é de uma forma negativa. Certamente não estão interessadas em agressão física, mas sim em criar situações vexatórias (sim, porque ficar gritando não é o suficiente). Elas precisam forçar uma briga física, quebrar algo, acaba arrancando e/ou rasgando roupas... Quando esse tipo de pessoa fica nervosa, ela costuma fazer neologismos de palavrões e isso é uma coisa muito incrível! Ou até mesmo julgar o próximo pelo o que ela mesma é.

Infelizmente, para falta de educação e grosseria, não existe solução. Se a pessoa não tem vergonha quando alguém a classifica assim, nada poderá ajudá-la a evoluir.

Pelo menos, quem tem boa formação e estirpe, não regride mais a esse estágio. É mais fácil ignorar a situação, do que revidar as grosserias e falta de bom senso.

A elegância vem sempre em primeiro lugar, mas como sabemos que ninguém é de ferro um dia um barraqueiro encontra pela frente alguém que lhe desfira uma bomba no meio da cara (eu prefiro a voadora, rs). Pode acontecer, afinal, todo valente, todo ignorante sempre acaba encontrando alguém mais valente, mais ignorante que ele...

Então, se na sua vida existe alguém assim, a única solução é ignorar a existência da criatura, mas se essa pessoinha existe na sua família ai a história é outra...
Infelizmente, quando algumas pessoas insistem nesse comportamento é muito difícil nos mantermos calmos para não falar a mesma “língua" que eles, já que o raciocínio e a educação são limitados e eles facilmente confundem um linguajar culto, amistoso e politicamente correto como fraqueza e aí, não distinguem elegância de ignorância (no sentido da palavra) então nos resta observar e ter dó de uma pessoa assim, pois é um distúrbio de personalidade que precisa de tratamento e ajuda dos familiares.
____________________
O Transtorno de Personalidade Borderline (TPB) é aquele encontrado em pessoas com instabilidade de humor, com problemas recorrentes em suas relações afetivas e com alterações tanto na imagem que fazem de si e dos outros quanto na capacidade de adaptação à vida em sociedade.
Elas são as chamadas pessoas ‘problemáticas’ ou ‘barraqueiras’, são, portanto pessoas que sofrem prejuízos significativos tanto no campo familiar quanto fora dele. Felizmente, como o transtorno não tem relação alguma com déficit cognitivo nem com outras deficiências, as pessoas acometidas podem ser indivíduos potencialmente produtivos.
Conforme o National Institute of Mental Health, antigamente se pensava que este transtorno era uma psicose ou que seria um ‘início’ de esquizofrenia ou transtorno bipolar, mas hoje já se sabe que a personalidade mórbida tipo Borderline acomete até 2% das pessoas, sobretudo mulheres. Na nossa prática pericial percebemos que não é transtorno raro.
Digamos em suma que o TPB produz uma forma truncada de percepção da autoimagem e uma distorção nos relacionamentos interpessoais, o que produz intenso sofrimento para seu portador e resulta muitas vezes na rejeição por parte de outras pessoas.
Os Borderlines são pessoas com memória muito exacerbada para eventos negativos: não são capazes de perdoar, remoem coisas do passado e vivem e revivem intensamente um sofrimento desproporcional aos fatos porque apresentam um juízo de valor muito rígido.
Para se viver bem em sociedade é preciso ter uma personalidade flexível, a adaptação ao meio é uma forma de inteligência que herdamos dos nossos antepassados. Por algum motivo que desconhecemos esta inteligência emocional não está presente em algumas pessoas.
Os arquétipos da sogra sanguinária, da madrasta cruel, da mulher barraqueira que briga por homem e vive fazendo escândalos e da fofoqueira ‘mal-amada’ que fala mal de todo mundo, derivam justamente de mulheres com transtorno de personalidade, tanto a Borderline quanto outro tipo comum, a Histriônica.
No fundo estas são pessoas muito carentes de afeto, são emocionalmente imaturas e sua autoestima bastante baixa.
Como são extremamente sensíveis à rejeição, tentam chamar a atenção para si com dramatizações, por isto é comum que mulheres com este transtorno ameacem se suicidar quando percebem que sua relação está chegando ao fim.
A pessoa com transtorno Bordeline vê as outras pessoas de maneira polarizada (preto/branco, anjo/demônio) e pode variar de uma admiração incondicional a um ódio intenso, vindo a devotar horas de seu dia a pensamentos ou atos relacionados ao objeto de seu amor ou de seu ódio.
Como a pessoa com o transtorno tem acessos de ira, é instável, ansiosa e pode ter picos depressivos, é mais predisposta a vícios  do que pessoas sem o transtorno, dai muitas vezes a necessidade de abordagem psiquiátrica.
Personalidade não se muda. Então por enquanto não existe nenhum tratamento de fato curativo, mas existem medicamentos bem como abordagens psicológicas para ajudar a pessoa a lidar melhor com seu sofrimento e para que ela impute menos sofrimento às pessoas que estão ao seu redor.
Mesmo sem desejar isto, as pessoas com TPB  acabam afastando as pessoas de seu convívio e isto só aumenta mais suas frustrações. Elas sofrem muito.
Então se você convive com alguém assim, o que não é nada fácil porque este tipo de comportamento realmente repele amigos e família, antes de desistir tente conscientizá-la da necessidade de passar por uma avaliação médica.
As pessoas com TPB tendem a colocar sempre a culpa do seu sofrimento nos outros.
(Fonte Salada Médica)

Para saber mais, clique aqui para ler um texto na Wikipedia que descreve muito detalhadamente como são as pessoas Borderline e o quanto sofrem.

Certamente você já se deparou com alguém assim.
São pessoas doentes, sem noção da realidade que estão acabando com nosso planeta! "Elas poluem a energia, os rios, os ares, geram poluição visual e sonora, provocam enchentes, e facilmente as guerras. São pessoas assim que espantam os pássaros, as borboletas e as joaninhas.  São pessoas assim que atraem fluídos negativos e destroem tudo ao seu redor."

Um pouco de Bom Humor...

Como identificar uma pessoa barraqueira;
-Fala alto
- Gosta de Pagode/funk
- Gosta muito de cerveja/cachaça
- Andar dançando, usa roupas chamativas e exageradamente curtas.
- Ter fama de barraqueiro (mesmo antes de fazê-lo)

* Favoritos de uma pessoa barraqueira:
- Uma comemoração: Churrasco
- Um produto: Água oxigenada
- Um Ator: Alexandre Frota
- Uma Atriz: Suzana Vieira
- Um Cantor: Belo
- Uma Cantora: Claudinha Leitte
- Um Programa de TV : O melhor do Brasil com Rodrigo Faro
- Uma Frase: "Gostou? Mamãe que fez.." (Autor desconhecido/assassinado)

Brincadeiras a parte o assunto é sério e merece atenção! Vamos ajudar ao próximo a compreender seus limites e ajuda-los a prosperar, crescer e evoluir!

Carpe Diem
SEMPRE FELIZ!

Nenhum comentário: